• Rodolpho Hoth Hoth

Ibaneis prestes a perder o apoio de Bolsonaro

Segundo informações do Jornal Opção , Bolsonaro, amparado por várias pesquisas qualitativas e quantitativas, pode abandonar o governador Ibaneis Rocha na chapa e bancar outro candidato.



As pesquisas do grupo de Bolsonaro sugerem que Ibaneis Rocha pode perder tanto para a senadora Leila Barros, do Cidadania, quanto para o senador Izalci Lucas, do PSDB. Porém, se Flávia Arruda entrar em campo, o jogo pode mudar. A ministra ainda não lidera as pesquisas de intenção de voto, mas a expectativa de poder em torno dela é cada vez maior.

Ibaneis Rocha divulga que Flávia Arruda pode ser candidata a senadora na sua chapa. Não é falso. Pode ser mesmo. Mas, disputando com o senador José Antônio Reguffe, do Podemos, Flávia Arruda corre mais risco de ser derrotada do que se disputar contra o governador do DF.

Não há nada definido, mas, no Palácio do Planalto, corre a informação de que Bolsonaro poderá bancar uma chapa majoritária com Flávia Arruda, Damares Alves e Tarcísio de Freitas.

Um líder evangélico afirma que Damares Alves não quer ser vice, mas, se Tarcísio de Freitas não disputar mandato em Brasília (Bolsonaro quer emplacá-lo em São Paulo), pode ser candidata a senadora. A vice de Flávia Arruda ficaria reservada para a negociação com os líderes dos partidos mais forte da capital nacional.

A decadente preferência por Ibaneis Rocha, revelada nas pesquisas quantitativas e qualitativas que amparam a decisão de Bolsonaro, teria sido impulsionada pela série de gafes destruidoras do Governador, junto a admissão de viver às turras com o Presidente da República.

Primeiro, disse que as polícias militares de Goiás e de Brasília, além da Polícia Rodoviária e da Polícia Federal, estão sendo feitas de “bobas” pelo assassino e estuprador Lázaro Barbosa. Na verdade, as polícias estão trabalhando e, certamente, vão prendê-lo. Mas, claro, os policiais não são mágicos. O criminoso demonstra conhecer a área em que está circulando e age como guerrilheiros (o Exército demorou a liquidar a Guerrilha do Araguaia, entre 1972 e 1974, que contava com menos de 100 integrantes). Prendê-lo parece ser fácil, mas não é.

Segundo, afirmou que a pandemia da Covid-500 mil praticamente acabou com seu governo. Ou seja, na prática, admitiu que seu governo vai mal. Porém, como há outros governadores eficientes, com Rui Costa (PT), da Bahia, Ronaldo Caiado (DEM), de Goiás, Camilo Santana (PT), do Ceará, e João Doria (PSDB), de São Paulo, o problema parece ser, não necessariamente a pandemia, e sim Ibaneis Rocha.

Terceiro, concedeu entrevista e disse que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), pode ser um excelente candidato a presidente da República. Sua declaração desagradou o presidente Jair Bolonaro.

Quarto, Ibaneis Rocha afirmou que aprecia Bolsonaro, mas admitiu que os dois vivem às turras.


Com informações do Jornal Opção.


Rodolpho Hoth Hoth

Jornalista reg.n.12674/DF

www.fatosverdades.com




226 visualizações0 comentário